Uma sociedade cegada pelo egoísmo

Sabe aqueles programas de ajuda à crianças com câncer, à África e outros parecidos? Eles sempre me chamaram a atenção. Nossa vida é uma maravilha – por mais que neguemos – e tem gente que não tem nem uma refeição por dia, ou pior, tem gente que morre de fome. Gastamos nosso tempo e nosso dinheiro com coisas fúteis, com um gadget novo e nos esquecemos de que muitas pessoas nem têm água.

Você se choca com esse tipo de imagem? Faça algo para mudá-las.

Nossa sociedade foi cegada pelo egoísmo. O Ocidente vive um paradoxo porque cada vez que dizemos “o que importa é minha felicidade“, geramos mais sofrimento, inclusive (ou principalmente) para nós mesmos. Quando queremos apenas o nosso bem, acabamos gerando o mal para todos. Aliás, que felicidade existe no egoísmo? Quantas pessoas já fizeram mal a um colega de trabalho só para conseguir uma promoção? Isso é felicidade? E se você acha isso normal é porque já se acostumou com esse caos egoísta que é o capitalismo.

Tenho certeza que todos vocês já ouviram a frase “não faça aos outros o que não gostaria que fizessem com você”. É uma frase de Jesus que muitos cristãos pensam ser apenas um “ditado”, mas a frase é maravilhosa. Tenha ela sempre em mente e lembre-se que você não é melhor que ninguém para se achar no direito de fazer o que quiser com quem quiser.

Quero pedir que vocês deixem de lado de vez em quando coisas não importantes, como ir jantar num restaurante caro, e ajude boas instituições. Não digo que trocar de carro ou de celular seja errado, mas afirmo, com base científica, que compulsão faz mal e tem gente que precisa muito mais do que você.

Um dia quem poderá precisar de ajuda será você. Pense nisso!

Como lidar com pessoas

Eu escolhi um tema bem complicado para tratar neste post: lidar com pessoas. Eu mesmo tenho problemas com isso às vezes e não sei uma solução perfeita para isso. Talvez nem haja, visto que cada pessoa é diferente da outra, mas eu trouxe aqui três dicas que podem ajudar a viver melhor e aprender mais com os outros.

A primeira coisa que tenho para destacar é não ache que todos pensam igual você. Se você acha que rock é a única música que presta, tudo bem, mas ninguém é obrigado a pensar assim. O que você faria se se confrontasse com alguém que odeia rock e também acha que todos são obrigados a pensar como ele? Obviamente não teria solução para esse embate. Se todos abrissem a mente, o conhecimento seria muito maior e a vida, muito melhor.

É muito importante que a gente perceba como se a pessoa está bem ou mal. Às vezes aconteceu algo ruim e aquela brincadeirinha que você faz sempre não vai dar muito certo. Perceba o humor da pessoa, saiba o que vai ser bom para ela e o que não vai.

Também é necessário que a gente ouça antes de falar. Já perceberam o quanto aquelas pessoas que falam sem te dar espaço acabam sendo chatas? Ninguém aprende falando. Ninguém entende o outro falando. Quando você fala, está falando de você. E é ouvindo que se criam laços e se constrói o conhecimento.

Era uma vez…

Era uma vez Dante. Ele era um cara razoavelmente comum, mas era incrivelmente prestativo e inteligente. Ajudava a todos e sabia de tudo.

Porém nem tudo na vida são flores e com o tempo, ele se tornou arrogante. Sua ajuda só piorava e sua inteligência só servia para si próprio. Ele foi abandonado e não sabia o porquê. “Sou tão bom, tão inteligente. Por que as pessoas fizeram isso?”, pensava.

Com o passar do tempo ele foi conhecendo outras pessoas parecidas com o que ele era e, aos poucos, viu nessas pessoas a simplicidade e a humildade que lhe faltavam. Seu coração estava comovido e seu desejo de ajudar as pessoas voltou com força. Ele decidiu mudar e assim nasceu o novo Dante. Uma pessoa realmente sábia e prestativa, pois reconhecia que não era perfeita.

Ninguém é perfeito. Todos erram e se não percebermos nossos erros, podemos acabar com todas as nossas qualidades, a nossa vida e a vida alheia.
Será que o velho Dante sou eu ou é você? Se for, eu desejo do fundo do coração que nós, assim como ele, mudemos para o novo Dante, um realmente sábio, que reconhece que erra e que deve pedir perdão.

PS: Deem retweet e compartilhem! Ajudem este blog chegar à mais pessoas e mudá-las assim como mudou a mim. Um abraço a todos e um ótimo fim de semana!

4 lições de um Carnaval diferente

Mais um Carnaval se passou e eu, particularmente, tive um dos melhores carnavais da minha vida – se não o melhor – Aprendi muitas coisas e quero compartilhar um pouco com vocês.

Faça seu dia valer a pena

A primeira noite não foi tão boa e me fez querer muito estar em casa. Eu não dormi nada. Por quê? Por causa de umas pessoas que passaram a noite inteira acordados (tomaram TNT) atormentando os outrospintando meu colchão e edredom de batome gritando como loucos. Isso não foi nada legal. Isso não foi nada amoroso nem respeitoso, mas no final, tudo deu certo.

No outro dia, mesmo cansados, acabados e sem dormir, fizemos o dia valer a pena. Fizemos tudo como se nada tivesse acontecido. E o melhor: nos divertimos muito.

A vingança nunca é plena

Obviamente uma das coisas que pensamos quando acordamos foi vingança. Eu até me surpreendi com tantas ideias para tal feito [risos]. Mas no final percebemos que vingança seria pior. Estaríamos fazendo o mesmo e iria criar um círculo vicioso de vinganças.

Recebemos a recompensa de ter feito o certo. De noite o pastor fez um “círculo de reflexão” excelente. Repensamos tudo o de bom e de ruim do dia e todos prometeram não fazer bagunça. Tivemos uma noite incrivelmente deliciosa e recheada de sono.

Você não é o centro, mas tudo depende de você

Temos a mania de querer que tudo dê maravilhosamente certo e que os outros façam as coisas. Mas isso tem dois problemas: é totalmente egocêntrico e para você aproveitar, você precisa fazer algo.

Por que os outros devem servir e você ser servido? Você nasceu pelado e vai morrer sem levar nada como todo mundo. Todo o seu corpo e genética são semelhantes ao de todos. Por que você é melhor? Como você quer que os outros façam algo se você não o faz? Se todos fizessem o mesmo que você, como seria o mundo?

Se quer ser feliz, você tem que fazer com que seja. Corra atrás do que quer. Além de ser injusto que os outros corram por você, nem sempre isso vai dar certo.

Honra a quem honra

Sempre vão ter aqueles que estarão servindo e uma coisa que aprendi em minha curta vida é que elogiar dá muito certo. Quando você elogia você está sendo justo, humilde, reconhecendo o que o outro fez e o ajudando a continuar fazendo o que faz.
Pode ter certeza que elogiar faz do mundo um lugar melhor. Honre a quem honra. Diga “obrigado”, “parabéns” e faça do mundo um lugar melhor.

Mudanças: à procura da felicidade

Galera, por questão de tempo e adaptação à diversas mudanças, o blog vai passar a ter um post por semana. Isso tudo vem de uma perseguição minha àquilo que quero realmente fazer. Eu já pensei em ter uma empresa e diversas outras coisas, mas não era bem isso que queria. Agora quero focar em um trabalho que estou fazendo, aprender bem sobre e-books e conseguir um emprego na área.
O blog de forma alguma ficará abandonado. Vou estar sempre trabalhando nele e com o mesmo foco de sempre: ser uma fonte de cultura, entretenimento e de ideias para um mundo melhor.
Espero do fundo do meu coração e mente que vocês apreciem essa nova fase do The Writings.

“Não, Tempo, não zombarás de minhas mudanças!
As pirâmides que novamente construíste
Não me parecem novas, nem estranhas;
Apenas as mesmas com novas vestimentas.”

– William Shakespeare

Para terminar o post, gostaria de deixar uma prática que me ajudou muito e creio que ajudará vocês também.

Toda noite se pergunte:

  • O que eu aprendi hoje?
  • O que fiz de bom?
  • Quando ajudei alguém?
  • Quando errei?

E toda manhã lembre-se dessas coisas e tenha em mente: “vou ser melhor hoje.”

“Se hoje fosse o último dia de minha vida, queria fazer o que vou fazer hoje? E se a resposta fosse ‘Não’ muitos dias seguidos, sabia que precisava mudar algo.”
Steve Jobs