Se não tem carroça, vou a pé

Parece que o tempo acelerou nos últimos anos. Nos tiraram de uma carroça que andava a 6 km/h e nos colocaram em uma Ferrari a 200 km/h.
Parece que todos os filmes, peças, vídeos na net, livros e blogs que eram ótimos uns anos atrás, se esticaram e estão cada vez um pouco mais longos e, consequentemente, um pouco mais chatos.
Quem foi que me colocou nesse carro rápido?
Que carro é esse onde um vídeo de 7 minutos é muito longo para eu assistir, um texto de duas paginas é too much para eu ler e uma palestra de 45 minutos é longa de mais para eu ouvir?
Estou ficando enjoado. Por que cada curva da vida precisa ser feita nessa velocidade? Precisa ser feita com emoção? Tem como parar para eu descer?
Sei que vou parecer seu pai, ou até um pouco nostálgico, mas ir devagar tem suas vantagens.
Me lembro de ter andado de carroça bem novo em Rio Verde, Goiás. Andar de carroça tem suas vantagens.
Ouvir o trotar do cavalo é relaxante, da pra pensar um pouco em tudo, pensar no dia, no caminho que vai se traçar. Dá até tempo de uma breve conversa com a linda moça que passa a pé na estrada de terra.
Carroça não levanta muito pó, passa num ritmo que é bom pra todos, não faz curva perigosa em alta velocidade, por isso não me enjoa tanto.
E a paisagem, da pra ver os detalhes! Os animais pastando e até o pássaro amarelo cantando em um galho da árvore perto da cerca.
Já de carro rápido isso não é possível, já não vejo o pássaro, pois a árvore virou um borrão que mal se percebe passar pela janela fechada. O canto do pássaro amarelo, o oi da linda moça e o barulho das pegadas do cavalo não se ouvem mais.
Todos dizem: Pra que lembrar disso, se você está numa Ferrari? Se você vai chegar em seu destino em poucos minutos, e nesse pouco tempo você está na temperatura ideal que o ar condicionado te oferece…
Não sei direito o porquê. Mas quando eu chegar lá, no fim do caminho, quero contar um pouco de como foi o caminho, quero lembrar do olhar daquela moça, do canto do pássaro, dos pensamentos que tive na longa jornada.
Desculpa, mas quero descer. Se não tem carroça vou a pé mesmo, mas nesse ritmo não dá. Fiquei enjoado com as curvas, e nem abrir a janela pra receber um vento na cara dá, porque tem gente que vai reclamar que o cabelo vai bagunçar.
Para tudo agora, porque eu quero descer. Se não tem carroça, vou a pé.

Por Marcos Botelho. Retirado de: http://ultimato.com.br/sites/marcosbotelho/2012/10/22/se-nao-tem-carroca-vou-a-pe/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s