Pensando em Aristóteles, divago



“Inteligentemente, o homem evita os vícios por falta e por excesso e atinge o justo-meio (a virtude). Por exemplo: entre a vaidade (vício por excesso) e a modéstia (vício por falta) está o respeito próprio (justo-meio).”http://www.philosophy.pro.br/justo_meio.htm; acesso 07/11/12

Eu estava tomando banho e tive um insight, queria ser surrealista, mas estava formando frases e agora que vim escrever, as frases sumiram da mente, então divaguemos…
Nothing to declare…
Reflitam!

Sim, eu sei que foi um lixo, mas não sei o que escrever. Fiquem com essa frase e se lembrem do que eu tinha dito: “o bom é a harmonia, embora seja difícil definir isso”. Fui surrealista sim e não ligo. Podem dizer que não estou sendo original, mas creio que estou. Deixo minha opinião e creio que seja isso que importa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s